A CONDESSA SEM CHETA

A CONDESSA SEM CHETA
MY BOOK

Monday, 14 March 2011

MOMENTO DE ALMA - ABRAÇA-ME



Hoje preciso de um abraço,
Quero sentir os teus braços.
Sentir-me amada, no meu cansaço
Saber que preciso de ti
Hoje quero repouso, soltar-me
Em teus braços e não cair.
Abraça-me!
Quero derrubar barreiras,
Que senti a vida inteira.
Estar contigo, sem medo,
Do teu ombro fazer veredas.
Soltar-me dos despojos,
Agarrar-me a ti, sem temor.
Quero esquecer a flor
Que deixaste, ao partires.
Abraça-me!
Porque sinto tal medo
De andar, pela vida, encolhida,
Que quando estas comigo,
Sinto, no teu jeito de abraçar,
Como se estivesse num oásis.
E recomeço a sorrir.
Abraça-me!
Deixa-me dormir na tua cama,
Porque me sinto criança,
Carente e ingénua.
Com movimentos ternos,
Quero adormecer,
No teu despertar.
Abraça-me,
Pela última vez te peço.
O mais forte dos abraços,
Como se fosses dizer adeus.
Sinto que te vais embora,
Hoje, amanha, noutra hora.
Se meu amor já for tardio,
Eu ficarei, por aqui, serena.
Tens a tua vida para viveres.
Eu te liberto, depois do abraço,
Para que possas saber
Que, neste abraço, neste laço,
Não me importaria de morrer

POR: JOAQUINA
14/03/2011

No comments:

Post a Comment